image5

Quais são as causas da insônia?

As causas da insônia são várias e podem estar relacionadas com transtornos mentais (depressão, ansiedade, síndrome do pânico, estresse pós-traumático, distúrbios do sono), problemas emocionais (separação, perda amorosa, desemprego, pobreza e outras condições de vida), doenças físicas (fibromialgia, dores, disfunções hormonais, doenças respiratórias ou digestivas) e estilo de vida (uso prolongado de medicamentos, drogas, estimulantes, cafeína e bebidas alcoólicas).


Outra causa frequente de insônia é a apneia do sono, caracterizada por curtas pausas na respiração que levam a pessoa a despertar várias vezes durante a noite, prejudicando a qualidade do sono. Nestes casos, a pessoa pensa ter dormido o suficiente, mas se sente cansada ao acordar e sonolenta durante o dia seguinte, uma vez que não teve o sono reparador.


Insônia: o que é, causas, sintomas e tratamento

O estresse emocional causado por dificuldades financeiras, problemas afetivos ou no trabalho, ansiedade e depressão também podem causar insônia. Esses problemas muitas vezes estão associados a uma atividade mental intensa, com grande fluxo de pensamentos e preocupações, tornando difícil pegar no sono.


Sentir dores durante a noite também pode provocar insônia, bem como doenças neurológicas como doença de Parkinson, Acidente Vascular Cerebral ("Derrame") e doença de Alzheimer.


Cerca de 30% a 50% das pessoas com insônia têm transtornos de humor, como depressão e ansiedade; as doenças físicas, especialmente relacionadas à dor, estão presentes em cerca de 10% dos casos; o uso abusivo de substâncias ocorre em 10% dos casos e cerca de 10% das pessoas com insônia possuem distúrbios do sono.


A insônia pode ser uma combinação de diversos fatores e que muitas vezes há predisposição para a pessoa desenvolver o problema.


O que é insônia?

A insônia caracteriza-se por uma experiência de sono inadequada ou de má qualidade, mesmo que haja oportunidade e condições favoráveis para dormir, prejudicando as atividades pessoais, sociais e profissionais realizadas durante o dia.

A insônia com duração inferior a 4 semanas é considerada aguda, enquanto que as insônias que duram mais de 4 semanas são consideradas crônicas.


Quais são os sintomas da insônia?

Uma pessoa com insônia pode ter dificuldade para começar a dormir ou manter o sono, ter um período de sono muito curto e insuficiente (acordar muito cedo) ou ter um sono de má qualidade ou não restaurador. Para caracterizar um quadro de insônia, é necessário que os sintomas ocorram pelo menos 3 noites na semana.


Outros sintomas da insônia incluem: acordar frequentemente durante a noite, ansiedade ou agitação antes ou depois de dormir, sensação de cansaço ao acordar, pesadelos, sonolência durante o dia, cansaço, dificuldade de concentração, atenção, aprendizado e memória, falta de energia, irritabilidade, queda do rendimento nos estudos ou no trabalho.


Qual é o tratamento para insônia?

O tratamento da insônia pode ser feito com medicamentos específicos, como as benzodiazepinas, além de psicoterapia e tratamento da doença de base que está causando a insônia. A medicação tem ação rápida, mas o tratamento da insônia é mais eficaz quando são associados os medicamentos às medidas não farmacológicas. Atividades físicas regulares e redução do estresse causado pelo trabalho e/ou família podem ajudar a equilibrar o sono.


Além disso, melhorar a qualidade do sono pode ser uma boa medida de combate à insônia.


Quando a insônia é transitória, ocorrendo em uma ou algumas noites, não traz consequências graves e muitas vezes pode ser considerada normal. Porém, se a insônia durar meses ou anos, pode trazer graves prejuízos para a vida do indivíduo e precisa ser avaliada pelo/a médico/a.